Em busca de renovação e melhorias, a LLA anunciou nesta quinta-feira (12) mudanças para a temporada 2020. As atividades da liga latino-americana agora serão operadas no México, onde foi sede da extinta LLN (ou LAN, ou liga latinoamérica norte). As alterações ocorrem devido a um acordo entre a Riot Games latino-americana e a TV Azteca – o maior canal de esports do país.

Segundo o anúncio, o contrato prevê transmissão das partidas em televisão, algo que acontece no CBLoL por exemplo, pelo SporTV. Além disso, as partidas serão abertas ao público durante todas as rodadas da competição, na Artz Pedregal Mall, localizada na Cidade do México.

Leia também

No final de 2018, a LLA (liga latinoamérica) uniu de forma oficial as ligas LAS (latinoamérica sul) e a LAN, formando um campeonato com as equipes mais tradicionais dessas regiões – como Rainbow7 e Infinity eSports, vindas do norte, e Isurus Gaming e Kaos Latin Gaming, ambas do sul do continente. Nesta temporada, as operações da liga aconteceram em Santiago, no Chile.

Como isso afeta o Brasil?

A mudança da LLA para a América do Norte – onde está situado o México – embora seja benéfica para os companheiros latino americanos, que terão aproximação com a LCS, isola o Brasil, que passa a se tornar a única região distante das demais pelo mundo.

A comunidade brasileira, principalmente figuras do cenário competitivo, comentaram sobre as mudanças no cenário latino-americano. Confira um pouco da repercussão:

Mesmo que os jogadores brasileiros ainda consigam acessar aos servidores norte-americanos, os pings não são dos melhores quando comparados aos dos treinos entre Brasil e LATAM. Nos Estados Unidos, os pings dos jogadores daqui chegam a mais de 100, considerado inviável para qualquer treino do tipo.

Deixe seu comentário